PROF. OLAVO GARANTIZADO ACERTA A PROPOSTA DE REDAÇÃO DA UNIFOR 2105.1 EM AULA DE VÉSPERA DA TV VEM PASSAR, QUE TEVE PARTICIPAÇÃO DE ALYSSON CASTRO (HISTÓRIA) E DAVI COSTA (GEOGRAFIA)

 

         A Universidade de Fortaleza, em seu Vestibular Geral 2015.1, trouxe-nos duas propostas para a prova de Redação, realizada neste domingo (30 de novembro). Na primeira proposta , o tema central foi a DITADURA MILITAR; na segunda proposta, o tema era um texto narrativo para falar sobre o tempo.

Na primeira proposta, o aluno deveria fazer um texto DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO, cujo comando queria que ele refletisse sobre a seguinte pergunta: “É possível  um retrocesso na história da democracia brasileira?”, fazendo uma alusão direta ao período da História brasileira denominado de DITADUTA MILITAR.  O texto motivador trazia uma imagem de pessoas às ruas  com as frases “pedir ditadura na democracia é fácil; quero ver é fazer o contrário”.  Importante Lembrarmos que, em nossa aula de véspera para UNIFOR, realizada ontem (29 de novembro), comentamos sobre possíveis temas da prova de redação e, naquela oportunidade, tivemos a companhia de Alysson Castro (História) e Davi Costa (Geografia), apresentando argumentos necessários para os alunos abordarem as temáticas por nós apresentada, entre elas, a DITATURA MILITAR e todo o seu contexto histórico foi abordado.

O aluno, desse modo, poderia apresentar como TESE CENTRAL de seu texto:

a)   Uma afirmação contundente sobre o momento histórico da Ditadura Militar e todas as suas implicações negativas sobre a sociedade da época, destacando quais os efeitos que esse retorno a esse momento brasileiro poderia se tornar uma mácula. Assim, poderia ser apresentado:  as práticas de torturas realizadas pelos oficias, a falta de liberdade de expressão – tanto da imprensa quanto do cidadão comum, as várias práticas de  agressões físicas e psicológicas nos interrogatórios, entre outras;

b)   O aluno poderia, se achasse pertinente, apresentar uma tese por CULPABILIDADE, destacando que a ineficiência do Estado em solucionar principais problemas de setores estratégicos, assim como o descrédito nas ações dos políticos, seriam alguns dos motivos de um grupo de indivíduos quererem novamente o período ditatorial.

 

No desenvolvimento, como fora mencionado na aula de véspera dada por nós, com a presença do prof. Alysson Castro (História), o aluno poderia fazer uma contextualização da época em que o Brasil viveu esse regime político. Como sabemos,  a Ditadura Militar foi um triste o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil, que teve duração de  1964 a 1985. Essa época caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar. Diante disso, nota-se que a proposta UNIFOR queria que o aluno apresentasse o seu ponto de vista sobre o retorno ou não desse período.

As estratégias argumentativas que nosso aluno poderiam usar, a fim de argumentar contrário ao retorno do regime ditatorial, seriam: exemplos de fatos históricos reais ocorridos como práticas de torturas, agressões físicas e atos de censura a artistas e personalidades com posicionamento anti-regime, além de citações de passagens de obras e pensadores que retratassem os efeitos negativos da ditadura.

Na conclusão, como o modelo de texto estilo UNIFOR não exige uma solução expressa e detalhada, o aluno poderia fazer uma reflexão sobre o tema abordado, uma retomada à problemática ou, também, uma solução que, no caso da proposta, estaria mais focalizada no cidadão comum se conscientizando de que o retorno à Ditadura seria, sim, um retrocesso ao Estado Democrático.

Na segunda proposta, o aluno deveria fazer uma narração, apresentando respostas às lacunas deixadas pelo quadro de Salvador Dali, “A persistência da memória”, além da frase “tudo tem seu tempo” (texto motivador II). A proposta queria, assim,  que o aluno apresentasse um texto narrativo com personagens, ações, conflitos e desfecho em que um tempo e um espaço fossem determinados.

Poderia ter sido feito, entre inúmeras outras possibilidades, as seguintes:

a)   uma história em que se apresentasse um personagem em que se deixasse claro que os fatos de nossas vidas ocorrem, mas que sempre há um tempo determinado para que tudo se encaixe;

b)   uma história em que o tempo fosse determinante para a concretização dos fatos do percurso narrativo;

De maneira geral, as duas propostas estavam fáceis de serem feitas, caso o aluno tivesse ciente da estrutura dos textos sugeridos e, principalmente na primeira proposta, estivesse ciente das discussões levantadas sobre o retorno do período da Ditadura Militar. Agradeço, desde já, a participação de Alysson Castro em minha aula de véspera para a UNIFOR, tanto na redação (em que discutimos Ditadura Militar), assim como na aula de Português (Discutimos sobre a República Velha, tema que esteve na prova de História).

Primeira fase do vestibular da UECE, em Geografia, seis questões. Uma abordagem mais direta, com uma carga muito maior de conhecimento do que o ENEM. Diria que as questões propostas pela CEV vão “direto ao ponto”, ou seja, a contextualização e a interdisciplinaridade tendem a ser menores.

Assuntos abordados: ciência geográfica; conceitos geográficos; urbanização; meio ambiente; hidrografia e climatologia.

Na esfera epistemológica do conhecimento geográfico, uma questão de simples abordagem, referente à corrente teorética da Geografia, também chamada Nova Geografia, concepção essa, fundamentada no século XX e com forte abordagem quantitativa. Uma corrente de pensamento que foi fomentada nos Estados Unidos e Europa, no contexto da Guerra Fria. Além disso, foi e é fortemente utilizada como embasamento pró-governamental.

O aluno Vem Passar, sabe que dentro do saber geográfico, existem alguns conceitos-chave para o melhor entendimento desta disciplina. Conceitos como lugar, espaço, paisagem e território. O conceito de lugar se remete a uma afetividade entre o “lugar” e o locutor/narrador/personagem. Aquilo que se refere a um conhecimento pessoal da área, a um sentimento de origem e afetividade, refere-se a lugar.  Portanto, na questão de número 32 o gabarito seria o item “B”.

O tema urbanização, que foi cobrado no ENEM/2014, aparece agora no vestibular da UECE 2015.1, desta vez, abordando dois conceitos importantíssimos da análise urbana: a conurbação (que foi nitidamente abordada no ENEM/2014) e a rede urbana.  São dois conceitos importantes, porém, bem simples, que, com certeza, foram marcados corretamente pelos nossos fantásticos alunos.

Na esfera ambiental, a CEV mais uma vez valorizou pesquisadores “ueceanos”. Desta vez, um texto do Professor Doutor em Geografia Física, Marcos Nogueira, um dos maiores nomes da Geografia Ambiental do Estado do Ceará, que, inclusive, tive a honra de ser aluno nos tempos de graduação, abriu a questão de número 34. Questão esta, excelentemente construída, cujo item “D”, seria o único a apresentar exclusivamente elementos de conservação da natureza.

Como era de se esperar, uma questão sobre hidrografia. Mais precisamente, morfologia fluvial. Talvez, a questão mais complicada da prova, por exigir do aluno, o conhecimento de alguns conceitos geológicos, geomorfológicos e hidrológicos em conjunto. O conceito de erosão (desgaste dos solos e relevos), litologia cristalina (ou embasamento cristalino, se preferir) e processos aluviais (relacionados à erosão fluvial) são os principais abordados na questão, que tem como item correto o item “A” de #aquitemsentimento, hastag característica do Professor Olavo Garantizado.

Por último, uma questão de climatologia, tratando muito mais de fatores e atributos climáticos. No item I, a relação entre temperatura e fatores climáticos. Sabemos que temperatura e latitude tendem a ser inversamente proporcionais, porém, os outros fatores climáticos também atuam, modificando e alterando essa lógica. Portanto, item correto. No II, temos que as grandes mudanças na paisagem são resultado dos grandes controles climáticos, mais constantes e profundos, também correto e bem construído. No item III, um equívoco sobre a localização do clima equatorial úmido.  Marque o item “C” como o correto.

Pode vir segunda fase! Estamos preparados! 

A prova da primeira fase da UECE, na disciplina de Matemática, não apresentou nenhuma surpresa que dificultasse a resolução das questões. Foi uma prova com o nível de dificuldade mediano.

Uma mistura de assuntos numa mesma questão, como a questão que envolve trigonometria e determinante.

Os assuntos abordados foram:

- Sistemas

- Função quadrática

- Arranjo

- Logarítmo

- Progressão aritmética

- Geometria analítica

- Porcentagem

- Divisibilidade

- Geometria plana

- Trigonometria

- Determinantes

De modo geral, a prova foi bem trabalhada e não exigiu muito dos candidatos, mas deixou claro que na segunda fase a dificuldade vai ser bem elevada comparada com a primeira.

 

A prova de História da Universidade Estadual do Ceará do Vestibular 2015.1 apresentou uma tendência de procurar distribuir de forma simétrica a prova de História, versando 3 questões com assuntos de História Geral e 3 questões com assuntos de História do Brasil.

Iniciando nossa trajetória pelas questões percebemos a distribuição inicial dos assuntos pela História do Brasil da seguinte forma:

  •   Sociedade Mineradora.
  •   Confederação do Equador.
  •   Administração Colonial, Era Pombalina.

 

As especificidades da sociedade colonial brasileira na fase da mineração foram o ponto alto da questão 25, utilizando um modelo já tradicional da Universidade Estadual (UECE), que consiste no julgamento de 3 assertivas por parte do candidato que teve seus conhecimentos sobre a dinâmica da sociedade dessa época analisados.

 

Na questão 26, mais uma vez tivemos a cobrança do item FALSO como gabarito da questão, característica sempre recorrente nas provas da UECE. A História Imperial teve espaço na prova da UECE, abordando um dos mais famosos episódios desse período que é a Confederação do Equador (1824), movimento de caráter republicano e de ideologia liberal que inaugurou os movimentos sociais da fase independente do Brasil, movimento iniciado em razão do autoritarismo do imperador,, materializado com a outorga da Constituição de 1824, marcado pelo uso exagerado da violência pelo Império para combater o movimento, contando inclusive com prisões e assassinatos dos principais líderes nos estados participantes da confederação (PE,PB,RN,CE), elementos caracterizadores do próprio nome da revolta, pois todos os estados membros, localizam-se próximos a Linha do Equador.

 

A questão 27, encerra o conjunto de questões com as temáticas de História do Brasil, com uma abordagem sobre a administração pombalina no Brasil. O marquês de Pombal fazia parte do grupo de gestores da Idade Moderna que utilizavam ideias liberais (Iluministas) em seus governos mas, sem perder o caráter autoritário, marcante do absolutismo. Sua política no Brasil consistiu numa ação modernizadora da estrutura fiscal, alfandegária, administrativa da Colônia. Dentre as realizadoras do Marquês de Pombal, podemos citar: a transferência da capital federal de Salvador para o Rio de Janeiro, a extinção do sistema de capitanias hereditárias, proibição das manufaturas na colônia, criação de Companhias para regulamentação do Comércio e a expulsão dos jesuítas.

 

Sentimos falta de assuntos relacionados a fase republicana, que acreditamos estarem presentes assim como mais assuntos de Colônia e Império na prova da 2ª Fase, haja visto, o maior número de questões a serem abordadas, permitindo uma maior abrangência dos assuntos pela Comissão Executiva do Vestibular.

 Em termos gerais, a prova possuiu um nível de abordagem acessível aos candidatos e gostaríamos de parabenizar a Comissão pela equidade na distribuição dos assuntos na prova, o que permitiu aos candidatos uma contemplação mais justa dos assuntos estudados durante o ano.   

A prova da UECE 2015.1 de Português trouxe, no seu Texto I, um assunto muito discutido nas áreas das Ciências Humanas, a Ditadura Militar. O primeiro texto da prova, “A dor”, de Hélio Gaspari, da obra A Ditadura escancarada, abordou: a) aspectos como a idéia central do texto; b) processo de construção da interpretação  global do texto; c)  aspectos do vocabulário, em especial da palavra “tortura”, que possibilitam para o entendimento do texto; d) uma figura de linguagem –Hipérbole; e) a figura de linguagem anáfora; f) questão explorando substantivo; g) duas questões interpretativas.

            Observou-se uma prova muito bem elaborada, exigindo que o pré-universitário estivesse atento à leitura precisa dos textos para a resolução das questões. O que se percebeu, neste ano, foi uma prova com itens mais longos, mais explicativos. De maneira geral, a prova necessitava de que o aluno tivesse uma leitura rigorosa do texto, uma vez que o título “A dor”, como uma questão abordara, não trazia esse item lexical em nenhum momento da superfície textual e, desse modo, por processo de construção de sentido mais geral, exigiu-se a reconstrução do título de forma associativa, sendo a palavra “tortura” primordial para o entendimento textual. Além disso, a prova da UECE, como o esperado, soube dosar bem questões que envolvessem diversificados assuntos, promovendo uma prova mais harmônica e simples, de certa forma, para os alunos.

            No segundo texto, a UECE presta uma merecida homenagem para João Ubaldo Ribeiro. Dessa forma, como já havíamos previstos em nossas redes sociais ontem (ver Facebook de Olavo Garantizado), a possibilidade desse autor estar na prova seria muito grande, uma vez que ele é, com certeza, um dos principais escritores contemporâneos que, infelizmente, faleceu em julho deste ano. Ainda sobre nosso comentário de possíveis questões para a prova, naquela oportunidade, falávamos da necessidade do pré-universitário atentar para gêneros como a crônica e as suas características. A UECE, de forma muito especial, abordou João Ubaldo a partir do gênero crônica, confirmando nossas expectativas sobre a prova da primeira fase, o que demonstra a preocupação dessa instituição com o resgate à memória dos escritores, atitude muito louvável por parte da banca.

            Na questão sobre o gênero crônica, cobrou-se (assim como havíamos falado em nosso comentário) as características estruturais do gênero. Para a resolução, o aluno deveria ler o texto e, em seguida, pontuar as partes que o constituíam. Para destacar a importância da interpretação, somando-se às figuras de linguagem, a prova teve uma questão sobre os aspectos irônicos de um trecho da crônica. Não podemos deixar de mencionar a questão sobre os recursos expressivos dos parênteses no texto, assim como os efeitos proporcionados por estes na construção dos sentidos que, para nós, foi um assunto cobrado, destacando, portanto, a importância da semântica no Vestibular, assunto muitas vezes esquecido nas provas.

 

 

COMENTÁRIO DA PROVA DA UECE 2015.1

A prova da UECE, ocorrida hoje, envolveu, na parte de Ciências Humanas, no que concerne à História,  questões ecléticas. Houve a presença bem dividida de questões de assuntos sobre o Brasil e a História Geral. No que se refere às estas últimas questões, tivemos uma questão sobre o Oriente Médio, fazendo alusão a um dos episódios históricos da História dos Hebreus. Foi analisada a origem do movimento chamado de Sionismo, a partir de um texto básico de referência. É importante destacar que, para a resolução da questão, seria necessário de que o aluno lembrasse sobre os episódios, o Êxodo, o Cisma, a Diáspora e o próprio Sionismo. Destaque para a não presença, por exemplo, de temáticas como os conflitos gerais, como a Guerra de Suez (1956) e a Guerra dos Seis Dias (1967).

Outro assunto analisado na prova foi a História da África. O que fora abordado na questão não teve nada relacionado com o que se esperava sobre as problemáticas da África, a exemplo, a epidemia de ebola. Foi cobrada uma resposta direta, a partir da contextualização, sobre a economia africana, destacando-se as principais atividades econômicas do continente.

Outro assunto tratado na prova foi a Guerra Fria. Na questão, foi mencionado a “Cultura de Massa”, uma grande ênfase do consumismo desenvolvido pelo EUA no mundo e a influência dos meios de comunicação para a manutenção e criação de novos hábitos. É abordada a assimilação de novos valores criados pela dependência cultural, politica e econômica ao capitalismo. 

 

COMENTÁRIO DA PROVA DO ENEM 2014

 

Analisando as temáticas de História Geral, Filosofia e Sociologia da prova do ENEM, pode-se concluir que foi bastante diversificada, mostrando abordagens desde a Antiguidade aos tempos atuais.

A prova de Ciências Humanas abordou temáticas referentes à formação da estrutura política da Antiguidade, passando por noções gerais de Filosofia, abordando formas de pensar de filósofos importantíssimos, tais como Epicuro e Platão. Destaca-se nela também as menções às questões econômicas como o caso da Crise de 1929 e a Revolução Industrial. É importante também observar a questão social, como foi abordado na questão da Idade Média, em que se analisou o papel da mulher durante este período.

Alguns dos assuntos abordados na prova de Ciências Humanas do ENEM 2014 passaram por:

 

  •          A evolução politica na Grécia Antiga, destacando para a resolução da questão o conhecimento necessário da evolução politica da Grécia, em especial em Atenas, as reformas de Drácon, Sólon e Clístenes e, deste ultimo, as características da Democracia e o princípio da Isonomia.

 

  •          No campo da Filosofia, foi destacado o pensamento de Epicuro,  filósofo grego. Formou a sua teoria tendo com um dos pontos mais importantes, o prazer. Para ele, a vida deveria ser a busca do prazer, o estado de Aponia, que era a ausência de dor física.

 

  •          Outro grande destaque foi o filosofo Platão. Sua filosofia é baseada na teoria de que o mundo que percebemos com nossos sentidos é um mundo ilusório, confuso. O mundo espiritual é mais elevado, eterno, onde estão o que existe verdadeiramente, as ideias, que só a razão pode conhecer. Platão foi um dos mais importantes filósofos de todos os tempos. Suas teorias chamadas de platonismo, concentram-se na distinção de dois mundos, o visível, sensível ou mundo dos reflexos, e um outro invisível, ou mundo das ideias.

 

  •          No campo da sociologia, foi destacado a cidadania como principal tema na comparação entre dois importantes nomes da cultura grega, mencionando Tucídides e Aristóteles. O conceito de cidadania é usado então para designar os direitos relativos ao cidadão, ou seja, o indivíduo que vivia na cidade e ali participava ativamente dos negócios e das decisões políticas. Cidadania pressupunha, portanto, todas as implicações decorrentes de uma vida em sociedade.

 

  •          Ainda na ótica filosófica a prova de Ciências Humanas, destacou o pensamento Renascentista de René Descartes, filósofo, físico e matemático francês. Autor da frase "Penso Logo Existo". É considerado o criador do pensamento cartesiano, sistema filosófico que deu origem à Filosofia Moderna. Sua preocupação era com a ordem e a clareza. Determinava que a ciência deveria ser prática e não especulativa. Sua principal obra foi "O Discurso Sobre o Método" (1637), na qual apresenta o seu método de raciocínio, "Penso, logo existo", base de toda a sua filosofia e do futuro racionalismo científico. Nessa obra, expõe as quatro regras para se chegar ao conhecimento: nada é verdadeiro até ser reconhecido como tal; os problemas precisam ser analisados e resolvidos sistematicamente; as considerações devem partir do mais simples para o mais complexo; e o processo deve ser revisto do começo ao fim para que nada importante seja omitido.

 

  •          Continuando no pensamento moderno de transição, observou a analise sobre a teoria de Galileu Galilei, matemático, físico, astrônomo e filósofo italiano. Fundamentou cientificamente a Teoria Heliocêntrica de Copérnico. A sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente teoria geocêntrica (que considerava, a Terra como o centro), é considerada uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna. A teoria copernicana permitiu também a emancipação da cosmologia em relação à teologia.

 

  •          Outra temática cobrada foi Revolução Industrial, da qual a Inglaterra foi a pioneira devido a diversos fatores, entre eles: possuir uma rica burguesia, o fato de o país possuir a mais importante zona de livre comércio da Europa, uma burguesia rica, investimentos em tecnologia, o êxodo rural e a localização privilegiada junto ao mar o que facilitava a exploração dos mercados ultramarinos. As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes com péssima iluminação, abafados e sujos. Os salários recebidos pelos trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e feminino. Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal remunerado ou qualquer outro benefício. Quando desempregados, ficavam sem nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.

 

  •          Não se poderia deixar de destacar as datas que marcam aniversário no ano de 2014, entre elas menciona-se a Primeira Guerra Mundial, que comemorasse 100 anos.  O conflito envolveu as grandes potências de todo o mundo, [ ]que se organizaram em duas alianças opostas: a Tríplice Entente entre Reino Unido, França e Império Russo) e a Tríplice Aliança entre Império Alemão, Áustria-Hungria e Itália. Entre as causas da guerra inclui-se as políticas imperialistas estrangeiras das grandes potências da Europa, como o Império Alemão, o Império Austro-Húngaro, o Império Otomano, o Império Russo, o Império Britânico, a Terceira República Francesa e a Itália em busca de ampliação do mercado consumidor, de matÉrias primas, de mão-de-obra barata e desqualificada e novas áreas para investimentos.

 

  •          A questão econômica também foi lembrada nesta prova, no episodio da Crise de 1929 e seus reflexos pelo mundo, em especial no Brasil, cuja as consequências foram o enfraquecimento da política do café-com-leite e a crise da República Velha. Lembrando que a crise resolveu-se com o plano chamado New Deal. O Estado passou a vigiar o mercado, disciplinando os empresários, corrigindo os investimentos arriscados e fiscalizando as especulações nas bolsas de valores. Outra medida foi a criação de um programa de obras públicas. O governo americano criou empresas estatais e construiu estradas, praças, canais de irrigação, escolas, aeroportos, portos e habitações populares.

 

  •          Fechando a abordagem sobre as temáticas, destaca-se a principal característica da cultura é o mecanismo adaptativo que é a capacidade, que os indivíduos tem de responder ao meio de acordo com mudança de hábitos, mais até que possivelmente uma evolução biológica. A cultura é também um mecanismo cumulativo porque as modificações trazidas por uma geração passam à geração seguinte, onde vai se transformando perdendo e incorporando outros aspetos  procurando assim melhorar a vivência das novas gerações.

 

 

Observando a prova como um todo, percebe-se uma boa distribuição de conteúdos no que se refere a História, a Filosofia e a Sociologia. Temos certeza que os alunos do VEM PASSAR obtiveram um bom desempenho na área de Ciências Humanas. 

 

Na manhã de hoje (12 de novembro), o MEC divulgou o tão aguardado gabarito para a prova do ENEM 2014. Observemos, abaixo, o Gabarito de todas as provas (Fonte do MEC):

  

 

SÁBADO (08/11):

CADERNO 1- PROVA AZUL

CADERNO 2- PROVA AMARELA

CADERNO 3- PROVA BRANCA

CADERNO 4- PROVA  ROSA

 

DOMINGO (09/11):

CADERNO 5- PROVA AMARELA

CADERNO 6- PROVA CINZA

CADERNO 7- PROVA AZUL

CADERNO 8- PROVA ROSA

 

Para todos os que fizeram o Enem 2014, o VEM PASSAR deseja MUITA SORTE.

O vestibular tradicional continua, existindo no início e no meio do ano. No entanto, a partir da próxima seleção, as provas tradicionais dividem as vagas com o Enem

 

O reitor da Universidade Estadual do Ceará (Uece), José Jackson Coelho Sampaio, assinou uma resolução datada de 22 de outubro, e publicada nesta segunda-feira, 10, aprovando que a seleção do vestibular no início do ano de 2015 deverá usar o vestibular tradicional e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O órgão de ensino também adotará o Sistema de Seleção Unificado (Sisu) e o Sistema de Cotas sociais e raciais.

Segundo a resolução, a adesão da instituição de ensino, a partir do próximo semestre, será mediante a oferta de vagas aos alunos da escola pública, contemplando, assim, todos os turnos e cursos de graduação presenciais de oferta regular.

Entenda como será a forma de ingresso, de acordo com a Resolução:

a) Para cursos com duas entradas anuais, serão destinadas 50% (cinquenta por cento) das vagas ofertadas para entrada no primeiro semestre; 

b) Para cursos com apenas uma entrada anual, no primeiro ou no segundo semestre, serão destinadas 25% das vagas ofertadas para o semestre de entrada;

c) Quando o cálculo do percentual concedido resultar em número inferior a 1 (um), não serão destinadas vagas ao Sistema ENEM/SISU/COTAS;

d) O cálculo de número de vagas destinadas ao Sistema ENEM/SISU/COTAS deve utilizar as regras de arredondamento;

e) Os cursos com duas ofertas anuais deverão oferecer no primeiro semestre letivo, número de vagas igual ou superior ao do segundo semestre imediatamente anterior.

f) O candidato que aderir ao sistema de cotas, ao optar por curso com entrada somente no 2º semestre, terá que aguardar a oferta para iniciar o curso escolhido.

Fonte da notícia: Redação do Jornal O povo online (acesso a partir do link: http://www.opovo.com.br/app/fortaleza/2014/11/10/noticiafortaleza,3345799/a-uece-vai-aceitar-o-enem-como-selecao.shtml)

A prova de Linguagens, códigos e suas tecnologias do ano 2014, assim como nos últimos dois anos, abordou uma diversidade de assuntos.  Grande destaque neste ano, com certeza, é a presença de questões de Literatura com maior intensidade na prova, assim como aspectos das linguagens como a expressividade corporal e as manifestações artísticas a partir do cordel e da música. No geral, como sempre se espera, a base da prova é a INTERPRETAÇÃO TEXTUAL, mas o uso de gêneros para proporcionar a elaboração da questão é fator preponderante. Abaixo, temos a lista e uma breve análise dos principais assuntos que estiveram na prova:

 

Gêneros Textuais e suas características:

  •          Notícia e cartaz: assunto foi a doação de órgãos. Explorando as relações entre os dois textos, a fim de que o pré-universitário resolvesse as questões, ele deveria ter conhecimento prévio das características dos gêneros, como o uso, nos dois gêneros citados, de estruturas verbais no imperativo.
  •          Charge foi explorada na prova. Uma das questões trazia a informação de que a Nasa estava divulgando a primeira foto feita por um robô. A questão, apesar de ser constituída por um gênero, usou-o apenas para a interpretação textual.
  •          Questão que abordava as rubricas e os efeitos que elas possuíam no texto teatral escrito.
  •          Questão sobre o gênero Editorial que abordava as características do gênero tratado.
  •          Questão com o uso da reportagem e da notícia, abordando a temática da TV.
  •          Uma questão sobre o Texto publicitário, que o abordava a partir da interpretação textual dos objetivos deste gênero. Questão bem elaborada que, para o aluno conseguir o item correto, deveria interpretar todos os recursos que constituíam a imagem.
  •          Uma questão que travava do gênero Blog. O comando busca uma  interpretação do aluno do objetivo desse gênero a partir de um texto acadêmico que retratava a importância dos Blogs.
  •          Uma propaganda que abordava o poder de transformações da sociedade com as lutas das manifestações populares.
  •          Aborda a questão do Aforismo, um dos gêneros textuais que retratam os comportamentos humanos. O texto base para a questão foi de Graciliano Ramos.
  •           

Funções da linguagem

  •          Questão a partir de uma crônica e, assim, o comando queria que o aluno entendesse as dificuldade de se escrever uma crônica a partir da própria crônica, caracterizando-se o predomínio da função metalinguística.

Gramática

  •          Uma questão que abordava os recursos linguísticos usados pelo verbo "dever" para proporcionar a interpretação e o sentido no texto.
  •          Questão sobre os processos de formação de palavras, destacando-se os empréstimos linguísticos.

Variações Linguísticas

  •          Uma questão que trazia o poema "óia eu aqui de novo", de Antonio de Barros, explorava a questão do regionalismo. O aluno, para resolvê-la, deveria entender muitos aspectos da fala sertaneja para chegar ao item correto.
  •          Uma questão sobre um texto do pesquisador Sírio Possenti também foi tema de questão do Exame deste ano. Novamente, o aluno deveria interpretar o texto e ter a ciência de que se tratava de saber entender as diversificadas situações comunicativas em que os  sujeitos podem se deparar.
  •          Uma questão que abordava a variação linguística ao longo do tempo. Um texto literário de Fernando Sabino serviu como mote para o comando da questão abordar a questão da variação da língua ao longo do tempo.
  •          Uma questão a partir da crônica de Veríssimo e abordava as variedades linguísticas. O comando da questão, no entanto, queria saber dos efeitos de humor proporcionados pelo texto. O aluno, para apresentar o item correto, deveria ter o mínimo de conhecimento de que o efeito de humor proporcionado foi gerado pela linguagem informal.

Tecnologias da comunicação:

                Esse assunto, nos últimos anos, foi um pouco esquecido na elaboração da prova de linguagens, mas este ano trouxe uma questão que abordava:

  •          interpretação por parte dos alunos dos impactos causados pelas denominadas "tecnologias de comunicação e informação". O aluno, no entanto, não necessitava ter conhecimentos prévios sobre esse assunto para interpretar o comando da questão e chegar ao item correto que o induzia para a necessidade do Brasil promover indústria de segurança de informação.
  •          Uma questão que falava sobre os mecanismos de linguagem a partir da apresentação do histórico de uma máquina chamada de  "linotipos". Desse modo, o aluno deveria interpretar o texto, que induzia para a apresentação de materiais informativos como principal objetivo do objeto.

Figuras de Linguagem

  •          Uma das questões abordava a temática das figuras de linguagem. A partir de um anúncio publicitário oficial, perguntava-se sobre qual a metáfora que estava sendo interpolada no texto. De certa forma, questão muito bem elaborada e com grau de dificuldade regular.

Estudos da língua materna

                Assunto que estava abandonado nos últimos Exames, o Enem 2014 trouxe uma questão que falava sobre a reflexão sobre a língua materna. Um texto acadêmico foi posto para ser analisado pelos alunos que, se atentassem bem, perceberiam que a repetição do "né" é, na verdade, uma tentativa de manter o ato comunicativo na linguagem oral. Assim, temos o uso dessa expressão linguística para caracterizar a fala.

 

Expressividade corporal

Um dos assuntos muito cobrados em provas anteriores, a expressividade corporal, em especial na prática escolar, voltou a estar presente em forma de questão objetiva no Enem  da seguinte maneira:

  •          uma questão que envolvia um texto muito atual, falando de boxe e de MMA. A título de curiosidade, o Enem traz à baila a Competência 3, com o uso da Habilidade 10 da matriz de referências.
  •          uma questão que falava sobre o corpo, bem voltada para a relação interdisciplinar com a Ed. Física. A questão era de interpretação textual e envolvia o reconhecimento por parte do aluno o entendimento do aumento da preocupação dos sujeitos com o corpo nos últimos anos, como já preconizava o texto para ser interpretado.

Estratégias argumentativas

  •          Um texto que apresentava uma reflexão sobre a possibilidade ou não do Brasil ser sertanejo. O comando queria que o aluno soubesse as estratégias argumentativas necessárias para produzir o convencimento do leitor.

Literatura Brasileira

  •          Uma questão de Literatura Brasileira, muito bem elaborada, diga-se de passagem, trazia uma reflexão de épocas literárias divergentes e queria saber do aluno o reconhecimento de novos temas como o desemprego e à criminalidade.
  •          Uma questão que tratava do Simbolismo e de Cruz e Souza. Os versos tratados pela prova apresentavam um tom de isolamento, uma das características de seu fazer literário, tratado pela questão de forma muito bem elaborada.
  •          Uma questão sobre o autor Augusto dos Anjos, em especial, sobre o Pré-Modernismo brasileiro. O aluno deveria saber um pouco sobre as características dessa época de transição da Literatura para encontrar o item correto.
  •          Questão que abordava os recursos de linguagem presentes no texto de Gregório de Matos Guerra.
  •          Questão sobre Manuel Bandeira, confirmando o fato de o Modernismo ser o assunto mais cobrado na prova de Literatura.
  •          Questão sobre Machado de Assis, logo tratando-se do Realismo brasileiro. O texto aborda a obra Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Mecanismos de Textualidade

Um dos assuntos mais cobrados das provas do Enem anteriores, os fatores de textualidade estiveram presentes da seguinte forma:

  •          Uma questão de intertextualidade, a partir de uma charge que dialogava com o quadro de Pablo Picasso, Guernica. O mecanismo linguístico que proporcionou a relação entre os textos foi uma expressão polissêmica; diante disso, observa-se uma questão muito bem elaborada e que deveria ser lida com cuidado pelos estudantes.
  •          Uma questão que abordava o uso do conectivo "mas". Foi dado um poema para o aluno interpretar e a conjunção "mas" não possuía função adversativa (oposição), uma vez que fora usada para intensificar as relações entre as orações ao longo do texto.
  •          Uma questão que tratava da crônica e dos recursos expressivos presentes nela, com o objetivo de determinar o eixo global de interpretação do texto como um todo.
  •          Uma questão para interpretar as relações entre dois textos, assim como as unidades de composição que os une tematicamente.
  •          Uma questão sobre os processos referencias presentes dentro de um texto de Luft.
  •           

Produção de cordel

  •          Questão apresentava uma reflexão sobre a literatura de cordel. O comando da questão era para ser interpretado com cuidado por parte do aluno, que deveria ter feito uma leitura atenta.

Manifestações de artísticas e culturais:

  •          Uma questão que trazia a arte em forma de escultura de Lygia Clarck. O objetivo da questão era o de relacionar a expressão artística com a obra "Bicho de Bolso". O grau de dificuldade da questão foi muito elevado e requeria que o aluno tivesse informações específicas sobre História da Arte.
  •          Questão que falava sobre a música, aspectos de linguagem e influência na cultura a partir do texto de Henrique Cazes.
  •          uma questão sobre a expressividade cultural da musicalidade do Hip-Hop.
  •          uma questão sobre as manifestações da linguagem musical.

Quanto aos 5 itens da prova de Inglês, eles seguiram quase que completamente o padrão que o teste assumiu desde o ano de 2010. O único ponto a ser destacado, foram dois textos (questões 92 e 93) um pouco mais longos do que o trivial. No mais,  exigiu conhecimentos de vocabulário e expressões idiomáticas, mais uma vez teve um item baseado em uma canção, desta feita do cantor norte-americano Bob Dylan. O professor sentiu falta do uso de imagens (charges, pinturas, história em quadrinhos), que foram mais empregadas em outras edições do Enem.